Hesicasmo

Hesicasmo

O Hesicasmo é uma corrente própria da espiritualidade cristã Ortodoxa, cuja história começa com os monges do deserto do Egito e de Gaza. O nome hesicasmo provém do grego hesychìa que significa: calma, paz, tranqüilidade, ausência de preocupação.


O Hesicasmo pode ser definido como um sistema espiritual de orientação essencialmente contemplativa que busca a perfeição (deificação) do homem na união com Deus através da oração incessante do coração. Num documento do mosteiro de Iviron do Monte Athos, lê-se esta definição: "O hesicasta é aquele que só fala com Deus somente e ora sem cessar."



Os monges hesicastas, por meio da invocação do Nome de Jesus e da atenção do coração buscavam o domínio das paixões e de todo o pensamento mal para permanecerem no suave repouso de Deus à escuta da Sua palavra silenciosa. Disse um deles:


"A nós, pequenos e fracos, não nos resta outra coisa senão refugiar-nos no Nome de Jesus".


Os santos monges estabeleceram a fórmula da oração do Nome de Jesus. Eles unirão a profissão de fé Apostólica: "Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus Vivo" (Mt 16,16; Filp 2,9-11), com a suplica do publicano e dos humildes do Evangelho: "Meu Deus, tem piedade de mim, pecador!" (Lc 18,13. 39; Mt 15,22).  Formulando assim, a Invocação Clássica do Nome:


“Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus Vivo, tem piedade de mim, pecador”


Além dessa formula clássica da invocação do Nome, existem várias formas para se orar o nome de Jesus. Muitos monges rezavam e sugerem a forma mais simples: "JE-SUS", apenas isso. Pois, não há a necessidade  de acréscimos: "O Santo Nome é a oração."  E essa única palavra sagrada facilita a união da oração com a respiração.


Os Santos monges do deserto desejosos da incessante comunhão e intimidade com Deus uniram a invocação do Nome de Jesus com o mandamento de "orar sem cessar" (Lc 21,36; 1Ts 5,17 Ef 6,18; Lc 18,1; Ap 4,8), e para isso, no século II, São Pacômio, discípulo de Santo Antão, inspirado por Deus criou o cordão de oração um rosário de 100 contas, chamado de Kombuskini (grego), chotki pela liturgia bizantina.



O Hesicasmo viria a se firmar com o mosteiro do Sinai, com São João Clímaco. Um expoente máximo é, seguramente, Simeão, o novo Teólogo. Renasceria no Monte Athos no século XIV.



Os grandes mestres da oração hesicasta, que criaram o método e sobretudo a teologia da oração hesicasta, podem ser encontrados entre os séculos XIII e XIV no Monte Athos. Vamos aqui recordar alguns nomes:


  • Gregório, o Sinaísta (+1346), do Mosteiro do Monte Sinai, ele transportou a “oração do coração” para o Monte Athos.
  • Nicéforo, o Hesicasta, de origem calabresa, converteu-se à Ortodoxia e se tornou monge no Monte Athos. Escreveu um pequeno tratado intitulado: “Sobre a Custódia do Coração”, que se tornou um clássico da oração hesicasta. Do século XIV temos um tratado anônimo chamado: "Método da Santa Oração", que é às vezes atribuído a São Simeão, o Novo Teólogo, mas não é verdade que seja dele esta obra.
  • Teolepto, Metropolita de Filadélfia (1250-1345), que formou gerações inteiras de hesicastas.
  • Gregório Palamas (1296-1359), que é considerado o maior teólogo do hesicasmo.



As Bases da Oração do Nome de Jesus:

A recordação constante de Deus por meio da repetição continua do Nome de Jesus unida à respiração e atenção no coração, buscando viver em sua presença e renunciando ao mal são as bases da oração hesicasta ou a oração do coração.


...

Simone Weil

"Os mistérios da fé são degradados se transformados em objeto de afirmação e negação, quando na realidade devem ser objeto de contemplação."

Notificação Por Email

Quer ser notificado por email quando o site for atualizado? Informe seu email no campo abaixo e clique no botão "Subscrever"